0

a artista

e suas paixões

Cris Rocha começou no mundo da cerâmica como aluna de Heloisa Alvim, estudando em seu estúdio de 1977 à 1979. Em seguida, teve aulas com Eva Ilg por mais dois anos e com Elvira Schuartz, do Espaço Zero em São Paulo. Sua formação ainda contou com nomes como Afrânio Montemurro e Cecília Akemi, do Studio Terra Fogo. Foi aluna de Shoko Suzuki de torno manual e Kenjiro Ikoma em placas e torno de mesa. 

 

Em 2001, Cris Rocha foi ao Japão representar o Brasil no IWCAT - The International Workshop of Ceramic Art of Tokoname. Na ocasião, se apaixonou pelas técnicas de queima à lenha, principalmente o anagama e o esmalte de cinzas. Retornou ao Brasil e construiu seu proprio anagama em Artur Nogueira, onde realizou 14 queimas.

 

Em 2002 retornou ao Japão para participar de uma exposição internacional na Kioegama Gallery, onde teve a oportunidade de vivenciar intensamente a tradição japonesa. No mesmo ano, recebeu o prêmio Acrilex durante a Mostra de Arte em Cerâmica Craft Brasil - Japão, evento em que expõe anualmente.

 

Em 2013 expôs seus trabalhos na Grécia e realizou oficinas em Atenas e Corfu.

 

Em 2014 foi para Hagen - Alemanha como artista convidada para representar o Brasil.

Em 2019 representou o Brasil no 8th China Changchun International Ceramic Art Invitational Exhibition, onde também participou da premiação 1st Lianhuashan Cup Ceramic Art Contes, em que levou uma menção honrosa pelo trabalho apresentado.

 

Já organizou workshops com grandes nomes nacionais e internacionais, como Peter Callas, Rikio Hakudo Hashimoto e Kenjiro Ikoma.